sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Norma NBR 10126

Cotagem em Desenho Técnico.
Objetivo: Na execução de todos os desenhos técnicos sejam de detalhes ou montagem os conceitos sobre cotagem estão contemplados nesta norma.
Documentos complementares: Para melhor aplicação desta norma, teremos como pré requisito o conhecimento das normas NBR 8402 – Caligrafia Técnica, NBR 8403 – Tipos de Linhas aplicadas nos desenhos técnicos e NBR 10067- Princípios gerais para representação gráfica em desenho técnico.
Definições: Para melhor aplicação desta norma adotamos por definição a Cotagem e a sua Aplicação.
Cotagem: Na Representação gráfica destacamos característica de cada elemento, através da aplicação de linhas, simbologia especifica notas e valores numéricos em unidade de medida, aqui no Brasil mm.
A cotagem pode ser: funcional, não funcional, auxiliar e elemento.
Funcional é quando se faz necessária para mostrar a função ou local de um objeto a ser representado.







Não funcional é quando não se faz necessária para o funcionamento de um objeto.







Auxiliar é quando será fornecida somente como informação, ela não influencia em operações de produção e de inspeção; é decorrente de outros valores aparentes no desenho ou documentos e nela não se aplica tolerância.







Elemento é quando define uma das partes que caracteriza um objeto, por exemplo, superfície plana, cilíndrica, um ressalto, um rebaixo, um filete de rosca, uma nervura, uma ranhura, um contorno, etc.
Produto acabado
É o objeto finalizado para montagem ou serviço, com uma configuração a ser executada de acordo com a representação gráfica. Este produto pode ser também uma fase pronta para posterior aplicação em um processo (por exemplo: um produto estampado, fundido ou forjado).
Aplicação
As cotas deverão ser aplicadas conforme será mostrado a seguir.
A cotagem para demonstrar um detalhe de uma peça ou componente, visível e completa, deverá ser representada diretamente na representação gráfica.
A cotagem deverá ser localizada na vista principal ou corte que represente nitidamente o elemento.
Desenhos de detalhes devem ser elaborados sempre com a mesma unidade (por exemplo, milímetro) para todas as cotas sem emprego de símbolo. Caso seja preciso, para evitar dificuldade de entendimento, o símbolo da unidade que predomine para uma representação gráfica deve ser colocado na legenda.
Quando houver necessidade de usar outras unidades como parte de especificação do desenho (por exemplo, N.m. para torque ou KPa para pressão), o símbolo da unidade adequada deve ser indicado com o valor.
Colocar as cotas necessárias para dimensionar um produto acabado ou um objeto. Deve-se evitar mais de uma cota para designar um produto acabado ou um objeto. Podem-se aplicar exceções: quando tivermos de cotar um estágio intermediário do processo (por exemplo: o tamanho de um objeto antes de aplicarmos um tratamento superficial de cementação e acabamento superficial); onde for mais vantajoso a adição de uma cota auxiliar.
Métodos de inspeção e ou processos de fabricação não deverão ser especificados, exceto quando forem necessários para garantir o bom funcionamento ou troca de objetos.
A cotagem funcional deverá ser cotada diretamente no desenho.




Em ocasião especial a cotagem funcional escrita indiretamente é justificada ou necessária. A figura maior abaixo mostra a cota funcional escrita indiretamente, mantendo as condições necessárias dimensionadas na figura menor.









A cotagem não funcional deve ser localizada de forma mais adequada para produção e inspeção.
Métodos de execução
Elementos de cotagem
Incluem a linha auxiliar, linha de cota (NBR 8403) limites de cota e a cota. Alguns elementos de cotagem serão demonstrados a seguir.





Linhas auxiliares e cotas
São desenhadas como linhas estreitas contínuas, conforme NBR 8403, mostradas também a seguir.







Linha auxiliar deve ter ligeiro prolongamento alem da respectiva linha de cota. Um espaço pequeno deve ser deixado entre a linha de contorno e da linha auxiliar.









Linhas auxiliares devem ser perpendiculares ao desenho dimensionado, havendo necessidade, pode representar obliquamente a este a cota de 60°, porém paralelas entre si.







A construção da intersecção de linhas auxiliares feita com o prolongamento desta além do ponto de intersecção.
Linhas auxiliares e cota, sempre que possível, não devem cruzar com outras linhas.










A linha de cota não deve ser interrompida mesmo que o desenho o seja.
O cruzamento das linhas de cotas e auxiliares deve sempre que possível ser evitados, porém se isso acontecer, as linhas não devem ser interrompidas quando se cruzarem.
A linha de centro ou de simetria e a linha de contorno, não devem ser usadas como linha de cota, porém, pode ser usado como linha auxiliar. A linha de centro ou simetria, quando usada como linha auxiliar de cota , deve continuar como linha de centro ou simetria até a linha de contorno do objeto desenhado.









Limite da linha de cota
A indicação dos limites da linha de cota é feita através de setas ou traços oblíquos.
As indicações são demonstradas como segue:
A seta é desenhada com linhas curtas com ângulos de 15°. A seta pode ser aberta ou fechada preenchida.

O traço oblíquo é desenhado com uma linha curta e inclinada a 45°





A indicação das extremidades da linha de cota deve ter a mesma dimensão numa mesma representação gráfica.
Num mesmo desenho deve ser usada somente uma forma da indicação dos limites da linha de cota. Caso o espaço seja reduzido, pode ser usada outra forma de indicação de limites.











Quando houver espaço suficiente as setas de limitação da linha de cota devem ser apresentadas entre os limites da linha de cota. Quando o espaço for reduzido às setas de limitação das linhas de cota, podem ser desenhadas externamente no prolongamento da linha de cota.







Na cotagem de raio é utilizada somente uma seta de limitação da linha, que pode ser interno ou externo ao contorno, (ou linha auxiliar) dependendo do desenho do objeto.
Apresentação da cotagem
As cotas devem ser colocadas em desenho em caracteres com tamanho suficiente para assegurar a total legibilidade seja no original ou nas reproduções feitas no microfilme ( de acordo NBR 8402). As cotas devem ser localizadas de tal maneira que elas não possam ser cortadas ou separadas por qualquer outra linha.
Existem dois tipos de métodos de cotagem, mas somente um deles deve ser utilizado num mesmo desenho.
Método 1 :
As cotas devem ser localizadas acima e paralelamente às suas linhas de cotas e de preferência no centro.








Exceção pode ser feita onde a cotagem sobreposta é utilizada.







As cotas devem ser escritas de maneira que permitam ser lida da base e/ou lado direito do desenho. Cotas em linhas de cotas inclinadas devem ser seguidas conforme mostrado a seguir.








Na cotagem de ângulo podem ser conforme demonstrado a seguir:






Método 2 :
As cotas devem ser lidas da base folha de papel. As linhas de cotas devem ser interrompidas, de preferência no meio, para escrever as cotas.
Na cotagem angular podem ser seguida uma das formas abaixo apresentada.






A localização das cotas com freqüência necessita ser adaptada às diferentes situações. Assim, exemplificando, as cotas podem estar:
No centro submetido da linha de cota, quando a peça é desenhada em meia peça.







Sobre o prolongamento da linha de cota, quando o espaço for reduzido.





Sobre o prolongamento horizontal da linha de cota, quando o espaço não permitir a localização com a interrupção da linha de cota não horizontal.





Cotas fora de escala (com exceção onde a linha de interrupção for utilizada) devem ser assinaladas com linha reta com a mesma largura da linha do algarismo.






Os símbolos a seguir são usados com cotas para identificar as formas e melhorar a leitura e interpretação do desenho. Os símbolos de diâmetro e de quadrado podem ser omitidos quando estiver clara a forma indicada. Os símbolos devem vir antes da cota. Ø = Diâmetro R= Raio Ø Esf= Diâmetro Esférico □ = Quadrado
R ESF= Raio esférico






Disposição e apresentação da cotagem
Disposição
A disposição da cota no desenho deve indicar claramente sua utilização.
Cotagem em cadeia
Deve ser utilizada quando a possível soma de tolerâncias não compromete a construção das peças.
Cotagem por elemento de referência
Este processo de cotagem é usado onde o número de cotas da mesma direção tem relação com um elemento de referência.
Este tipo de cotagem por face de referência pode ser executada de duas maneiras, cotagem em paralelo ou cotagem aditiva.












Cotagem em paralelo é a localização de várias cotas simples paralelas uma às outras e que tenham espaços suficientes para escrever a cota.


Cotagem aditiva é uma simplificação na maneira de cotagem em paralelo e pode ser utilizada onde existe pouco espaço e não haja dificuldade de leitura e interpretação. A origem é localizada em uma face de referência e as cotas localizadas na extremidade da linha auxiliar de cota.
Cotagem aditiva em duas direções pode ser utilizada quando tiver vantagem na representação, neste caso teremos duas faces de referência, como mostrado a seguir:






Quando no desenho o detalhe estiver próximo, quebramos as linhas auxiliares para permitir a colocação da cota no lugar adequado.









Cotagem por coordenadas
Na prática a Tabela mostra a leitura e interpretação das cotas do objeto.










Coordenadas para pontos de intersecção em malhas de desenhos de localização.
Coordenadas para pontos arbitrários sem a malha, devem aparecer próximos a cada ponto.







Cotagem combinada
Cotagem simples, cotagem aditiva e cotagem por elemento comum podem ser combinadas num mesmo desenho.

Indicações especiais
Cordas, arcos, ângulos e raios
As cotas de cordas, arcos e ângulos devem ser conforme a figura a seguir.










Quando o centro do arco exceder os limites do espaço disponível, a linha de cota do raio de ser quebrada ou interrompida, de acordo com a necessidade de localizar ou não o centro do arco.
Quando o tamanho do raio for determinado por outras cotas, ele deve ser indicado pela linha de cota do raio com o símbolo R sem cota.





Elementos eqüidistantes
Quando os elementos igualmente espaçados são parte da especificação do desenho a cotagem pode ser simplificada. O espaçamento linear pode ser cotado como mostra a figura a seguir.








Se houver alguma dificuldade de leitura e interpretação entre o comprimento do espaço e o número de espaçamentos, um espaço deve ser cotado como mostra a seguir.







Espaçamentos dos ângulos podem ser suprimidos se não causarem dúvidas ou confusão, como mostra o desenho do lado direito:






Espaçamento circulares pode ser cotado indiretamente, dando o número de elementos, como mostra a seguir:





Elementos repetidos
Quando for possível definir a quantidade de elementos de mesmo tamanho com isto, evitar repetir a mesma cota, eles serão cotados conforme a seguir:





Chanfros e escareados
Chanfros com medida e ângulo diferente de 45°devem ser cotados assim:







No caso de chanfros a 45° a cotagem pode ser mais simples como a mostra o desenho do lado esquerdo e os escareados cotados conforme o desenho do centro e do lado direito a seguir:




Outras indicações







Podem-se utilizar letras de referências, junto com uma legenda ou nota para evitar que se repita a mesma cota.
Na representação de objetos simétricos desenhados em meio corte ou meia vista, a linha de cota deve cruzar e se estender além do eixo de simetria.

De maneira geral, não se cota em conjunto, porém, quando for necessário, o grupo de cotas específico para cada objeto deve ficar na medida do possível, separado








Em algumas situações, é preciso cotar uma área ou comprimento limitado de uma superfície, para indicar uma situação especifica.
Neste caso, a área ou comprimento e sua localização, a indicação é feita por meio de linha traço e ponto larga, desenhada próximo e paralela à face correspondente. Quando esta determinação especial se referir a um elemento de revolução, a indicação deve ser mostrada somente num lado.
Quando a localização e a extensão da determinação especial precisar de identificação, deve-se cotar de forma aproximada, no entanto, quando o desenho mostrar forma clara e sua extensão, a cotagem não é necessária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário